segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Os melhores cafés de Viena


A suntuosa Viena é uma cidade famosa pelos seus tradicionais cafés ou Kaffeehaus. De certo, você não pode visita-la sem ao menos conhecer um deles. E como na Itália se briga pelo melhor gelato, e em Paris pelo melhor croissant, aqui se briga para ser o “melhor café da cidade”.
Um pouco de história:
Desde o segundo cerco turco de Viena, no século XVII, os vienenses se apaixonaram pelo café, e com a expulsão dos árabes em 1683, as primeiras cafeterias surgiram por toda a cidade.
Seu auge ocorreu durante a fase em que Viena, então capital do Império Austro-Húngaro, viveu uma grande efervescência cultural. As Kaffeehaus resistiram a Primeira Guerra Mundial e ao fim do Império. No entanto, com o fim da Segunda Guerra, os vienenses vêm à maioria de seus tradicionais cafés fecharem as portas. Mas, felizmente, diversas casas foram reabertas no fim do séc XX e início do séc. XXI. Em Novembro de 2011, a UNESCO incluiu os cafés de Viena na sua lista de lugares preservados pelo patrimônio mundial. 
Os vienenses se gabam de possuir as casas de café mais antigas do mundo ocidental, embora Veneza, Varsóvia e Oxford briguem pelo mesmo título. Não importa, sem dúvida, a cultura do café em Viena é impar.
As casas de café na Áustria possuem uma atmosfera própria, com as senhoras idosas que bebem seus “Melange”, os mal humorados garçons de smoking, os violinista húngaros, os jornalistas sentados em um canto a escrever, os jornais presos em suportes de madeira, e a densa fumaça de cigarros e charutos.
O café é quase sempre servido em uma pequena bandeja de prata com um copo de água ao lado, e, por vezes, acompanhado de um pequeno pedaço de chocolate. 


O divino café Melange!!

Os diversos tipos de cafés em Viena: 
· Kleiner Brauner Brauner e Großer: um expresso com um pouco de leite.
· Melange: uma mistura de espuma de leite vaporizado e café semelhante ao cappuccino italiano.
· Milchkaffee: um grande café com leite espumado.
· Einspänner: café preto forte tipicamente servido em um copo alto com uma pitada de creme chantilly.
·  Fiaker: um tipo de café incomum com rum austríaco e chantilly.
· Mazagran: é o Fiaker composto de café, gelo, uma dose de rum e um pouco de açúcar.
· Konsul: café preto com um pouco de creme.
· Verlängerter: uma versão diluída e, portanto, mais fraca, e maior do Brauner Großer, geralmente servido com leite.
· Schwarzer ou Mokka: café preto forte, normalmente consumido com uma grande quantidade de açúcar.
· Kurzer: o típico café expresso.
· Türkischer: é o café turco, com bastante água e açúcar, servido como um café bem quente, forte, com os grãos ainda no copo.
· Eiskaffee: café frio com sorvete de baunilha, chocolate e chantilly.
· Cappuccino: variação regional do cappuccino italiano feito de café e chantilly, em vez de leite.
Vou contar para vocês que já provei e adorei o famoso cappuccino da Itália, mas nada no mundo se compara ao delicioso café Melange que experimentei em Viena.



As Kaffeehaus de Viena
No mapa:

(1) Café Central
(2) Café Demel
(3) Café de l´Europe
(4) Café Griensteindl
(5) Café Hawelka
(6) Café Landtmann
(7) Café Mozart
(8) Café Museum
(9) Café Prückel
(10) Café Sacher
(11) Café Schwarzenberg
Minha intensão era fazer um tour por todos eles, semelhante ao que fiz pelos cafés de Praga (veja aqui e aqui), mas não deu.
Primeiro, porque em Viena as distâncias são grandes, segundo porque eram tantos os museus que eu queria visitar, fora as salas de música, etc, etc, que os cafés “caíram” para segundo plano. Terceiro porque em Praga fiquei hospedada em um ap, sem café da manhã, mas em Viena tomava café da manhã no hotel, então não deu para conhecer todos. Todavia, confesso que não tenho dúvidas que essas são as melhores cafeterias do mundo.
Vamos, agora, ver os tradicionais cafés na parte turística de Viena.
Os que eu conheci:
A cafeteria foi aberta em 1876, e tornou-se um ponto de encontro entre os filósofos, poetas e políticos da época. Foi frequentada pelo escritor Hugo von Hofmannsthal, Freud, Peter Altenberg e Leon Trotsky. O lugar é impressionante com suas enormes colunas e decoração rebuscada. Almocei em um Domingo e adorei, no entanto alerto para as grandes filas na porta. Endereço: Herrengasse/Strauchgasse, 1010. Metrô: U3 Herrengasse. Funcionamento: de seg a sáb de 7.30-22h e domingo de 10-22h.
Localizado no hotel de mesmo nome, foi fundado em 1876. Não é bem uma cafeteria tradicional, deve sua fama a Sacher-torte, a torta mais famosa do mundo. Criação de Franz Sacher, ela é feita de chocolate meio amargo e recheio de damasco. Achei a torta muito boa, mas não sei se é a melhor do mundo. Adorei o ambiente, contudo seja muito turístico. Endereço: Philharmonikerstrasse, 4. Funcionamento: diariamente de 8h a meia noite.
 
 
 
O meu café preferido no mundo: Café Leopold Hawelka
Ponto de encontro entre escritores e artistas, o café foi aberto em 1939 e não fechou as portas após a Segunda Guerra, quando, definitivamente, tornou-se o refúgio dos intelectuais. Ainda hoje, é administrado pela Família Hawelka. Eu o visitei no meu segundo dia em Viena e foi quando comi o melhor strudel da minha vida. Amei tanto o lugar, com sua atmosfera escura e seu cheiro de café e tabaco, que voltei nos meus últimos instantes na cidade. IMPERDÍVEL. Endereço: Dorotheergasse 6. Metrô: U1 Stephansplatz. Funcionamento: de seg a sáb de 8-2h; domingo de 10-2h; fechado as terças.
 
 
Decoração vintage
Demel
A considero mais uma confeitaria do que um café propriamente dito. Produz os melhores doces da cidade, para os imperadores e meros mortais, desde 1786, quando foi aberta. Achei a visita imperdível, principalmente pela sua loja de doces. Esses são muito caros, mas é impossível sair de lá sem umas comprinhas. Endereço: Kohlmarkt 14 (próximo ao Palácio de Hofburg, na Michaelerplatz). Metrô: U3 Herrengasse. Funcionamento: 9-19h.
 
 
 
A lojinha
Os ovos de Páscoa
Café Sperl
Fundado em 1880, antes da Primeira Guerra era frequentado tanto por jovens artistas, como por militares de alta patente. Ficou mundialmente famoso, por ter sido cenário do adorável filme "Antes do Pôr do Sol" (1995). Sinceramente, como adoro esse filme, estava louca para conhecê-lo, mas não achei nada de mais. Os garçons em Viena são conhecidos pelo seu mau humor, mas achei que aqui eles se superaram, contudo isso pode ter se devido ao fato de eu ter chegado um pouco antes da hora de fechamento do estabelecimento. Gostei das mesas de bilhar e de suas luminárias.  Fica em uma região cercada de boas opções para night. Endereço: Gumpendorferstraße, 11. Funcionamento: 7-23h.
Lugar tradicional, com garçons muito mal humorados. Parei aí algumas vezes porque era perto do meu hotel. Possui um bom café Melange. Endereço: Mariahilferstraße 73. Funcionamento: de 7.30-22h. 
Desde 1958, eles importam o seu próprio grão de café e o preparam segundo uma receita secreta. Vendido nos fofos pacotes rosa e frequentado por pessoas jovens, caiu no meu encanto. No seu site, eles vendem o café para todo o mundo.  


Os que eu não visitei (daqui em diante as fotos não são minhas):

Café Imperial

A cafeteria fica dentro do Hotel Imperial e abriu em 1863. É um ambiente suntuoso e famoso pela Torta Imperial e pelas suas trufas de chocolate. Endereço: Kärntner Ring, 16.
 
 
Aberto em 1787, e um pouco afastado do centro histórico, a cafeteria é frequentada pela alta sociedade vienense e por poucos turistas. No século XIX, os músicos Johan Strauss, pai e filho, estrearam diversas obras no local.  Endereço: Dommayergasse, 1. Funcionamento: 7-22h.
 
Localizado em frente ao MAK, possui um interior típico dos anos 50. Aí ocorrem concertos de piano e leituras literárias. É frequentado pelos locais. Endereço: Stubenring 24. Metrô: U3 Stubentor.  Funcionamento: diariamente de 8.30-22h.
Fundado em 1873, era o preferido de Sigmund Freud e Gustav Mahler. Também, é um bom lugar para se tomar café da manhã. Endereço: Altmannsdorfer Straße 158. Metrô: U2 Schottentor. Funcionamento: diariamente de 7.30 a meia noite.
Aberto em 1847, por um farmacêutico, rapidamente tornou-se um ponto de encontro entre os artistas, como Franz Grillparzer, Hermann Bahr e Arthur Schnitzler. O original foi demolido no final do séc. XIX, e este foi recriado pelo grupo Do&Co no mesmo local. Endereço: Michaelerplatz 2 (ao lado do Palácio de Hofburg). Metrô: U3 Herrengasse. Ele fica tão pertinho da Demel que acaba sendo pouco visitado pelos turistas. Funcionamento: diariamente de 8-23.30h.
Um dos mais antigos da cidade, já foi palco de recitais de Wolfgang Amadeus Mozart e Ludwig van Beethoven. Endereço: Himmelpfortgasse 6-8.
 
Recentemente reaberto, teve seu interior desenhado por Adolf Loos em 1899, no auge do período Art Nouveau. Entre seus frequentadores ilustres destacam-se Gustav Klimt e o arquiteto Otto Wagner. Endereço: Operngasse 7. Metrô: U1/2/4 Karlsplatz. Funcionamento: de seg a sáb 8 a meia noite e domingo de 10-00h.
 
Aberto em 1794, após a morte de Mozart, é conhecido pelo seu café da manhã, o "Third Man Breakfast"  que é servido até 15h. Fica próximo ao Albertina. Endereço: Albertinaplatz 2. Metrô: U1/2/4 Karlsplatz. Funcionamento: 8-00h.
 
Aberto 1860 foi um dos primeiros cafés do Ringstrasse. Seu interior ainda ecoa a opulência do Império Austríaco. Há frequentes exibições, leituras e concertos. Endereço: Kärntner Ring 17 (em frente Palácio Schwarzenberg). Funcionamento: de domingo a sex de 7-00h e sábado de 9-00h.


Era isso, boa viagem e aproveitem bastante, pois Viena vai mudar o seu conceito sobre café e doces. Aquilo lá é o paraíso!


Nenhum comentário:

Postar um comentário